Personagens Bíblicos: Adão e Eva e o Pecado Original

Tempo de leitura: 9 minutos

Neste texto vamos explorar um pouco mais sobre a existência de Adão e Eva e o impacto destes personagens bíblicos em nossas vidas como cristãos. Acompanhe abaixo as principais referências teológicas sobre o assunto.

adão e eva e o pecado original

É comum que até evitemos pensar ou debater o assunto da criação da humanidade, pois é o ponto de principal diferença entre os crentes e descrentes. Hoje somos cercados pelas teorias científicas da fundação da humanidade e elas diferem quase completamente da história bíblica, no entanto, precisamos conhecer os fundamentos de nossa Fé e saber como responder àqueles que nos questionam sobre nossas crenças.

Qual era o papel de Adão e Eva na Criação

Adão e Eva, segundo a bíblia, foram os primeiros humanos a serem criados, responsáveis por “gerenciar” toda a criação de Deus na Terra. Deus havia criado algo que julgava ser muito bom, um local onde poderia relacionar-se com sua criação, no entanto, como bem sabemos, houve uma ruptura desse relacionamento quando o homem deixou de lado seu propósito original e optou por desobedecer uma simples ordenança do Senhor, originou-se o pecado.

A bíblia descreve que Adão e Eva eram portadores da imagem e semelhança do Senhor, tendo o jardim do Éden como seu próprio reino, onde deveria cumprir seu mandato cultural designado por Deus no momento da criação. O pecado de Adão e Eva foi consumir o fruto da árvore que, segundo o texto bíblico, permitia o “conhecimento do bem e do mal”, sendo alertados de que no dia em que comessem do fruto, certamente morreriam. Para alguns teólogos, o conhecimento do bem e do mal refere-se a autonomia humana e à auto-suficiência de conhecimento, que os afastaria do criador, corrompendo sua natureza humana.

O homem caiu na oferta feita por Satanás, no pecado, deixando de lado a soberania de Deus Criador em troca de sua própria autonomia e orgulho, desprezando a bondade do Senhor, presente em todas as coisas disponíveis para seu desfrute, em resumo, Adão e Eva não confiaram o suficiente no Senhor e isso os levou ao pecado e consequentemente à morte.

Segundo Gordon Lyons, Adão e Eva eram os representantes pactuais de Yahweh. Seu status, prerrogativas, responsabilidades e bênçãos eram tais que eles, de fato, ocupavam a mais alta posição e recebiam privilégios reais como nenhum outro ente criado. […] Deste modo, Deus preparou e iniciou o processo de revelar seu desígnio maravilhoso para e dentro do reino cósmico. Ele estabeleceu e iniciou o processo da história. (Pecado Original, Gordon Lyons. Acessado aqui).

Adão e Eva e a Doutrina do Pecado

A história de Adão e Eva está diretamente ligada à doutrina do pecado, ou mais especificamente ao termo “Pecado Original”, que diz respeito à corrupção racional, moral e espiritual, advinda do primeiro pecado que afastou o homem de Deus e que todos nós compartilhamos.

Os cristãos entendem que, ao ocorrer a queda do homem, toda a pessoa nascida no mundo por procriação natural, exceto Jesus, tem herdado a natureza pecadora de Adão e Eva, pois eles foram responsáveis pela perda da justiça original da criação, deixaram de confiar em Deus e em consequência houve a corrupção de toda a natureza criada por Deus.

A doutrina do Pecado Original é muito profunda, mas seu cerne encontra-se na afirmação de que este pecado tornou a alma espiritualmente morta. A partir disso, uma pessoa natural ou não-regenerada, por si só, é inteiramente incapaz de fazer o bem aos olhos de Deus, por isso a necessidade da graça de Cristo.

RC Sproul escreveu que, apesar da queda, a natureza humana permanece intacta, pois permanecemos como fomos criados, com alma, paixões e pensamentos. No entanto, a queda afetou a capacidade de refletirmos a imagem de Deus em nossa existência, o propósito pelo qual fomos criados, ser sua imagem e semelhança.

O novo testamento diz que somos naturalmente filhos da ira, mortos em pecados e transgressões, sendo inimigos de Deus. A morte é resultado do pecado, que afetou nossa natureza espiritual, moral e também nossos corpos. Somos humanos, porém possuímos uma humanidade decaída pelo peso da maldade. Nossa única redenção está na reconciliação com nossa verdadeira natureza, por meio de Cristo Jesus. (“O pecado original mudou a essência de nossa humanidade como foi criada originalmente?” – RC. Sproul. Acessado aqui).

Se o pecado foi de Adão e Eva, porque nós somos igualmente culpados?

A culpa de nossa natureza pecaminosa é de Adão e Eva? Será que nascemos sem escolha? Será que isso é uma injustiça?

Esse é um ponto delicado, pois a primeira vista podemos nos sentir injustiçados por Deus nos imputar o pecado do patriarca Adão, no entanto, somos nós mesmos responsáveis pelos nossos erros. A bíblia conta que por meio de um só homem o pecado entrou no mundo e corrompeu a todos, todos pecamos e estamos destituídos da glória de Deus.

Para entender isso de maneira mais clara, podemos fazer a analogia do pecado original com uma decisão política. Assim como todos os indivíduos de um determinado país são atingidos pelas decisões de seus governantes e representantes, todos nós somos atingidos pelo pecado de Adão e Eva, pois eles eram os representantes de toda a humanidade.

Algo importante que precisamos entender é que, toda a culpa por nossa corrupção e pelo castigo que carregamos em nossos corpos não é e nunca foi de Deus. Isso porque Ele criou o mundo de maneira perfeita, a escolha pelo pecado foi inteiramente humana. Desde que Adão e Eva pecaram, toda a humanidade e nós também temos optado por pecar diariamente em nosso coração e em nossas atitudes, pois nossa natureza se corrompeu e nos afastamos de Deus.

No entanto, precisamos lembrar igualmente que desde a queda do homem, o Senhor permaneceu relacionando-se conosco, cuidando e direcionando a humanidade, a fim de, um dia, por meio de um único Salvador, retomar o propósito para o qual fomos criados.

O pecado do Éden, cometido por Adão e Eva, na verdade não foi o simples consumo de algo proibido. Segundo Santo Agostinho:

“O que no preceito se recomendou foi a obediência – virtude que é como a mãe e guardiã de todas as virtudes na criatura racional”. (A Cidade de Deus, Santo Agostinho, Fundação Calouste Gulkbenkian, Vol. 2, p.1275-6. Acessado aqui).

Ao optar por comer o fruto proibido, Adão e Eva optaram por desobedecer a Deus, essa escolha resultou na quebra do elo de confiança que existia entre Deus e a humanidade, uma ruptura muito séria que resultou em todo o mal que existe hoje.

Adão e Eva realmente existiram?

Os cristãos creêm que toda a Bíblia é verdadeira e inspirada por Deus, logo, não podemos tomar qualquer parte como sendo irreal, pois passaremos a desconfiar da literalidade de tudo o que nela está escrito, no entanto, é para evitar suposições e falsas doutrinas que existe o estudo da Teologia. Por se tratar de um texto escrito há muito tempo em línguas e contextos culturais completamente diferentes do atual, é importante entender que a interpretação deve ser cuidadosa e estudiosa.

A historicidade de Adão e Eva, de maneira literal, é admitida em toda a Bíblia, por diferentes profetas e épocas, inclusive por Jesus, que baseia-se no relato da criação para fundamentar suas orientações a cerca do casamento, por exemplo. Ele também mencionou Abel, filho de Adão e Eva, em Lucas 11:51. Toda a nossa Teologia é baseada na crença de um Adão e Eva históricos: a imagem e semelhança do homem com Deus, a descendência de Adão e sua relação com a construção dos povos na terra, a queda do homem e a necessidade da salvação de Cristo, tudo isso está baseado na história da criação, não podemos ignorá-la.

No entanto, alguns acontecimentos relatados na Bíblia têm aspectos de figura de linguagem e implicações culturais da época, no que diz respeito ao posicionamento geográfico, nomenclaturas ou períodos cronológicos. Por isso é tão difícil entender no que consiste a criação e Adão e Eva, mas basta olharmos para a bíblia como um todo que deixaremos de lado qualquer dúvida quanto ao seu aspecto literal.

Nossa sociedade tem uma visão muito clássica do paraíso e de Adão e Eva, estimulada por séculos de pinturas e representações culturais, mas a única verdade que sabemos sobre isso está na Bíblia. O que realmente diferenciava o primeiro homem no jardim de Deus do homem atual era sua natureza moral e espiritual incorrupta, diferente do que ficou após o pecado.

Você pode entender mais sobre esse assunto em alguns estudos mais aprofundados:

A importância Teológica da Historicidade de Adão
História de Adão e Eva
Doutrina do Pecado Original
Herdeiros de Adão

Qual a relação de Jesus Cristo com Adão

“Porque, assim como em Adão todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo” (1 Co 15.21-22).

Por fim, precisamos entender o motivo da história da criação ter chegado até nós. É necessário que entendamos a nossa debilidade e a necessidade que temos de salvação e de reconciliação com Deus. Tudo o que houve, desde o princípio, caminhava para a manifestação do amor de Deus pela humanidade, por meio do seu filho Jesus.

Adão trouxe a morte ao mundo, todos os humanos que procedem de Adão estão sujeitos à morte e a reversão do pecado e da morte de Adão acontece na realidade histórica de Cristo por meio de sua ressurreição dos mortos. Todos os humanos unidos a Cristo serão vivificados.

Adão e Eva existiram, se relacionaram com Deus, desobedeceram e pecaram, mudaram o destino da humanidade, mas nada disso esteve fora do propósito de Deus. É por meio das dificuldades que conhecemos a manifestação de seu amor e misericórdia por nós, podendo glorificá-lo com gratidão e esperança.

Deus te abençoe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *