Deus de promessas: Promessas do antigo testamento que se cumpriram no Novo

Tempo de leitura: 25 minutos

Temos um Deus de Promessas, que desde a criação revela o seu amor pela humanidade.

Ao rejeitar a necessidade de Deus, não só no primeiro pecado do Éden, mas em todos os nossos pecados diários, escolhemos ser como Deus, assumindo o controle de nossas vidas.

E por esse motivo saímos da  proteção de nosso criador, a quem deveríamos glorificar.

Fomos criados para viver dentro do santo e grandioso propósito de Deus e rejeitamos essa dádiva.

Mas Deus em sua infinita misericórdia, já sabia que não poderíamos enfrentar sozinhos a justiça que nos aguardava.

Por isso, tornou-se o próprio sacrifício de justiça em nosso lugar.

Em Cristo Jesus foi revelado o amor de Deus para a humanidade, e nele foram cumpridas suas promessas de redenção.

Nesse texto, gostaríamos de  falar sobre algumas das promessas feitas por Deus no antigo testamento e que foram cumpridas no novo testamento por meio de Jesus.

Um Deus de promessas é que vemos no antigo testamento.

Os estudos revelam que são mais de 300 profecias cumpridas¹ por Cristo, aqui iremos descrever algumas delas.

1)    O QUE É O ANTIGO TESTAMENTO – Deus de Promessas

Antes de iniciar o nosso estudo sobre as promessas de Deus, vamos entender a diferença entre o antigo e novo testamento.

O antigo testamento conta a história da criação do mundo e descreve a aliança de Deus com o povo de Israel.

É no antigo testamento que descobrimos que temos um Deus de promessas, que desde o início da história prepara um destino de redenção do pecado para seus escolhidos.

Ele é composto por 39 livros que foram reconhecidos como inspirados por Deus.

Na bíblia católica incluem-se oito livros apócrifos, que são livros adicionais que não foram reconhecidos pelos teólogos judeus e nem pelos cristãos reformados.

Pois além de apontarem algumas questões consideradas como erros doutrinários graves, não podem ser considerados de inspiração divina e não comprovam sua validade histórica.

Portanto, o cânon sagrado é composto oficialmente pelos 39 livros, que vão de Gênesis a Malaquias.

a) O Pentateuco

Dentro do antigo testamento encontramos o Pentateuco, que são os cinco primeiros livros:

Gênesis, Exôdo, Levítico, Números e Deutoronômio.

Entre os judeus, este é o Torá.

Acredita-se que tenham sido escritos por Moisés, mas existem outras teorias quanto à origem – como por exemplo, a história passada como tradição oral para o povo, estruturando-se nesses livros.

Seu conteúdo traz detalhes sobre a antiga aliança, os dez mandamentos e as leis mosaicas.

Aqui já temos vários passagens mostrando que nosso Deus é um Deus de promessas.

b) Livros Históricos

Os livros históricos do antigo testamento contam a trajetória do povo de Israel, seus reis e suas lutas com outros povos.

Algo que é muito explorado entre os acontecimentos é a constante desobediência do povo e a consequência por seus pecados.

Estes livros são: Josué, Juízes, Rute, I e II Samuel, I e II Reis, I e II Crônicas, Esdras, Neemias e Ester.

Os reis de Israel também virão o Deus de promessas.

c) Livros Poéticos

São considerados os livros poéticos:

Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes e Cântico dos Cânticos.

São livros repletos de orações, conselhos de sabedoria e inspirações de louvor.

Entre seus autores estão Davi e Salomão, entre muitos outros desconhecidos.

Apesar desses livros não serem considerados proféticos, as suas passagens trazem profundamente os temas sobre o relacionamento do homem com Deus.

E a necessidade da salvação por meio do sacrifício de Jesus, inclusive, são livros citados no novo testamento pelos apóstolos.

Passagens que nos ensina a aguardar no nosso Deus de promessas.

d ) Livros Proféticos

Os livros proféticos são compostos pelos relatos dos profetas em todo o período do antigo testamento.

Neles encontram-se uma riqueza de detalhes sobre a situação do povo de Israel nos períodos históricos.

Era por meio dos profetas que Deus relacionava-se com o povo, portanto, nesses livros estão as profecias sobre o que haveria de acontecer em toda a humanidade.

Não somente para os filhos da promessa, inclusive, muitas profecias sobre a vinda de Jesus.

São divididos entre os Profetas Maiores:

Isaías, Jeremias, Lamentações (Jeremias), Ezequiel e Daniel.

E entre os Profetas Menores: Oséias, Joel, Amós, Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias, Malaquias.

Talvez seja nesses livros que mostram o quanto nosso Deus é um Deus de promessas.

2)    O QUE É O NOVO TESTAMENTO – Deus de promessas

O novo testamento é a concretização das promessas de Deus feitas no antigo testamento.

Mostrando que nosso Deus, o Deus de promessas foi fiel.

Conta a história do messias, da redenção da humanidade e do fim de todas as coisas.

O novo testamento é a parcela mais importante para os crentes em Jesus Cristo, pois é a história da nova aliança de Deus com o seu povo, incluindo agora os gentios.

Jesus foi rejeitado pelos judeus, que ainda esperam pela vinda de seu messias.

No entanto, toda essa rejeição e a necessidade dela para que  a glória de Deus seja revelada em todo o mundo está descrita nos livros dos apóstolos.

“Pois, se a rejeição deles é a reconciliação do mundo, o que será a sua aceitação, senão vida dentre os mortos?” (Romanos 11:15)

Conhecer o novo testamento é saber qual deve ser a verdadeira natureza do homem em Cristo, é descobrir que as obras não valem de nada se não houver Fé.

É entender que o sacrifício importante para Deus é um coração sincero, não o sangue e a carne de animais.

No novo testamento é revelado o imenso amor de Deus pela humanidade, que entregou seu filho para salvar e justificar os seus.

Descobre-se a necessidade do sangue de Jesus para lavar a natureza humana, carnal corrupta, de seus pecados.

Também é exposto o propósito dos discípulos e seguidores de Jesus.

Inclusive os crentes de hoje: seus discípulos são luzeiros no mundo, devem pregar as boas novas e cumprir o “ide”, amando ao próximo, a Deus sobre todas as coisas.

São os crentes em Cristo que esperam pelo Reino e por sua justiça.

O novo testamento é o novo tempo, onde as profecias do antigo testamento foram cumpridas.

a) Livros Históricos

A divisão do novo testamento é iniciada com os livros históricos, aos quais chamamos de evangelhos.

Que contam as boas-novas e a trajetória de Jesus no mundo, também revelam a história da construção da igreja primitiva de Cristo.

Compostos por: Mateus, Marcos, Lucas, João e Atos dos Apóstolos.

Aonde vemos várias promessas sendo cumpridas, como disse o Deus de promessas no antigo testamento.

b) Epístolas de Paulo

O Apóstolo Paulo foi o mais incomum dos apóstolos, levantado para servir a Jesus após sua ressurreição.

Paulo foi designado à anunciar o evangelho aos gentios, ou seja, aos povos não judeus.

Um cidadão romano e também um dos mais zelosos judeus de sua época, estudou a Lei com o mais alto sacerdócio.

Foi perseguidor dos discípulos e da mensagem de Cristo até que teve seu encontro com Jesus em Damasco (Atos 9).

Depois disso, tornou-se o mais ativo de todos os apóstolos: viajou o mundo, foi preso diversas vezes, enfrentou perigos incontáveis e pregou aos mais diversos povos.

Suas epístolas são compostas por diversas cartas, escritas às igrejas da época e a seus irmãos em Cristo, formando grande parte do novo testamento.

São elas: Romanos, 1 e 2 Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, 1  e 2 Tessalonicenses, 1 e 2 Timóteo, Tito e Filemon.

Em suas cartas, o apostolo Paulo enfatiza as promessas cumpridas por nosso Deus, o Deus de promessas.

c) Epístolas Gerais

As epístolas gerais são as mensagens deixadas pelos apóstolos e seguidores de Cristo em diversos contextos, dos quais nem todos temos a descrição clara do que estava sendo tratado.

No entanto, são úteis para a edificação da igreja. São elas: Hebreus, Tiago, 1 e 2 Pedro, 1, 2 e 3 João e Judas.

d) Apocalipse

A revelação recebida pelo apóstolo João, enquanto estava preso na Ilha de Patmos, já em tempo avançado em sua vida, sobre o que há de acontecer nos últimos dias.

A mensagem clara sobre a volta de Jesus, a perseguição da Igreja e a descrição dos ataques do Inimigo.

No Apocalipse encontram-se as principais promessa de Deus para seus escolhidos, que aguardam a glória reservada para quem persevera até o fim.

O Apocalipse é extremamente figurado, com revelações que são estudadas até hoje pela escatologia, a área responsável pela análise da doutrina dos últimos dias.

3)    DEUS DE PROMESSAS: PRINCIPAIS PROMESSAS CUMPRIDAS EM CRISTO

“Porque todas quantas promessas há de Deus, são nele sim, e por ele o Amém, para glória de Deus por nós”. (2 Coríntios 1:20)

Conforme é dito por Paulo aos Coríntios, em Cristo todas as promessas de Deus têm um “sim”, ou seja, são cumpridas.

Assim também profetizou Zacarias, pai de João Batista, quando recuperou sua fala:

“Bendito o Senhor Deus de Israel, porque visitou e remiu o seu povo, e nos levantou uma salvação poderosa na casa de Davi seu servo.

Como falou pela boca dos seus santos profetas, desde o princípio do mundo;

Para nos livrar dos nossos inimigos e da mão de todos os que nos odeiam;

Para manifestar misericórdia a nossos pais, e lembrar-se da sua santa aliança, e do juramento que jurou a Abraão nosso pai, de conceder-nos que, libertados da mão de nossos inimigos, o serviríamos sem temor, em santidade e justiça perante ele, todos os dias da nossa vida”. (Lucas 1:68-75)

A salvação poderosa revelada por Deus é Jesus.

O Deus de promessas cumpriu sua maior promessa mediante Jesus Cristo.

Que cumpriu e ainda cumpre todas as promessas de libertação e salvação do povo de Deus, não somente da linhagem da promessa, mas à toda humanidade criada.

Jesus confirmou que todas as profecias messiânicas se referiam à Ele.

Quando leu o livro do profeta Isaías na sinagoga, Ele afirmou:

“Hoje se cumpre diante de vós esta escritura” (Lucas 4:21) e “Perscrutai as Escrituras, já que nelas esperais ter a vida eterna; elas dão testemunho de mim” (João 5:39).

Abaixo, vamos descrever as principais promessas do antigo testamento cumpridas por Jesus em sua vinda:

  • Deus de promessas – A promessa de Deus de um novo coração e perdão

“E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne”. (Ezequiel 36:26)

Cristo, com seu sacrifício, permitiu que nos tornássemos novas criaturas.

Justificados de nosso pecado, ganhamos um coração quebrantado e o auxílio do Espírito Santo em todas as circunstâncias, o Consolador, responsável por completar a obra de edificação em nós, limpando dos pecados e santificando nossa vida, esse é o cumprimento dessa promessa.

  • Deus de promessas – A promessa de Deus sobre o nascimento do Messias

O antigo testamento é repleto de profecias quanto ao nascimento do Salvador, que traria o reino de paz ao mundo, esse salvador é Jesus.

A primeira profecia quanto ao nascimento do Messias diz que ele seria descendente da tribo de Judá:

“E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade”. (Miquéias 5:2)

“E tu, Belém, terra de Judá,De modo nenhum és a menor entre as capitais de Judá;porque de ti sairá o Guia que há de apascentar o meu povo Israel”.(Mateus 2:6)

Além da descendência da tribo de Judá, Jesus também cumpriu outra profecia em seu nascimento, a de vir de Belém:

“Mas tu, Belém-Efrata, tão pequena entre os clãs de Judá, é de ti que sairá para mim aquele que é chamado a governar Israel.

Suas origens remontam aos tempos antigos, aos dias do longínquo passado”. (Miqueias 5:1)

“Tendo, pois, Jesus nascido em Belém de Judá, no tempo do rei Herodes, eis que magos vieram do oriente a Jerusalém”. (Mateus 2:1)

Por fim, a promessa mais significativa sobre o nascimento do Cristo é que ele nasceria de uma virgem:

“Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamará Deus Conosco”. (Isaías 7:14)

“Eis como nasceu Jesus Cristo: Maria, sua mãe, estava desposada com José.

Antes de coabitarem, aconteceu que ela concebeu por virtude do Espírito Santo”. (Mateus 1:18)

  • Deus de promessas – A promessa de Deus sobre a proclamação da mensagem a todos os povos do mundo

Uma das grandes questões dos Judeus que não creram em Cristo, é o fato da aceitação de outros povos como filhos.

Por serem os herdeiros da promessa, parecia inaceitável que os gentios e pagãos tivessem acesso à mesma salvação e à mesma glória que foi revelada aos filhos de Abraão.

No entanto, a salvação do mundo já havia sido anunciada muito antes de se concretizar em Cristo:

“Porque conheço as suas obras e os seus pensamentos; vem o dia em que ajuntarei todas as nações e línguas; e virão e verão a minha glória.

E porei entre eles um sinal, e os que deles escaparem enviarei às nações, a Társis, Pul, e Lude, flecheiros, a Tubal e Javã, até às ilhas de mais longe, que não ouviram a minha fama, nem viram a minha glória; e anunciarão a minha glória entre os gentios”. (Isaías 66:18,19)

Jesus acusou a hipocrisia dos fiéis a Lei, pois seus corações foram endurecidos para a verdade.

Por isso, cumpriu a profecia de levar a salvação para todos os povos da terra, convidando à mesa todos os que necessitavam de salvação, “enxertando” os galhos na videira.

“Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;

Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém”. (Mateus 28:19,20)

  • Deus de promessas – A promessa de Deus sobre os acontecimentos após o nascimento de Cristo

Alguns acontecimentos foram reveladores após o nascimento de Cristo, muitas coisas foram arquitetadas para evitar que ele crescesse.

O primeiro acontecimento foi a matança de crianças recém-nascidas em Belém, por ordem de Herodes, para evitar o nascimento do Rei dos Judeus.

Esse episódio já havia sido profetizado por Jeremias:

“Eis o que diz o Senhor: ouve-se em Ramá uma voz, lamentos e amargos soluços.

É Raquel que chora os filhos, recusando ser consolada, porque já não existem”. (Jeremias 31:26)

Nesse mesmo período José, pai de Jesus, foi orientado por Deus a fugir para o Egito até que passasse o período da perseguição, essa trajetória foi anunciada por Oséias:

“Israel era ainda criança, e já eu o amava, e do Egito chamei meu filho”. (Oséias 11:1)

 “José levantou-se durante a noite, tomou o menino e sua mãe e partiu para o Egito”. (Mateus 2:14)

  • Deus de promessas – A promessa de Deus sobre a pregação de Cristo

Isaías profetiza que o Messias pregaria nas proximidades do Rio Jordão:

“No passado ele humilhou a terra de Zabulon e de Neftali, mas no futuro cobrirá de honras o caminho do mar, a Transjordânia e o distrito das nações”. (Isaías 8:23)

Mateus conta que, justamente para que se cumprisse a profecia de Isaías.

Jesus foi habitar na região de Cafarnaum após a prisão de João Batista, a fim de pregar para uma região que carecia de vida e luz:

“Quando, pois, Jesus ouviu que João fora preso, retirou-se para a Galiléia.

Deixando a cidade de Nazaré, foi habitar em Cafarnaum, à margem do lago, nos confins de Zabulon e Neftali, para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías:

A terra de Zabulon e de Neftali, região vizinha ao mar, a terra além do Jordão, a Galiléia dos gentios, este povo, que jazia nas trevas, viu resplandecer uma grande luz; e surgiu uma aurora para os que jaziam na região sombria da morte”. (Mateus 4:12-16)

  • Deus de promessas – A promessa de Deus sobre a rejeição de Cristo

Muitos livros no antigo testamento trazem profecias sobre a rejeição que Jesus sofreria, isso por parte de seu próprio povo.

“Era desprezado, era a escória da humanidade, homem das dores, experimentado nos sofrimentos; como aqueles, diante dos quais se cobre o rosto, era amaldiçoado e não fazíamos caso dele”. (Isaías 53:3)

Essas profecias foram cumpridas, Jesus foi morto a pedido do povo ao qual veio salvar, mas tudo isso pertencia a um propósito muito maior:

“Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam”. (João 1:11)

A falta de fé dos judeus é o meio para que a Glória de Deus se manifeste entre os outros povos da Terra.

Não devemos nos orgulhar por isso, mas sermos gratos pela tamanha misericórdia de Deus.

Quando Jesus chega em Jerusalém, acontece a entrada triunfal, todo povo o recebe como Senhor, na mesma cidade em que em breve seria preso.

Esse momento foi profetizado por Zacarias:

“Exulta de alegria, filha de Sião, solta gritos de júbilo, filha de Jerusalém; eis que vem a ti o teu rei, justo e vitorioso; ele é simples e vem montado num jumento, no potro de uma jumenta”. (Zacarias 9:9)

E foi cumprida, como é dito em João:

“Saíram-lhe ao encontro com ramos de palmas, exclamando: Hosana!

Bendito o que vem em nome do Senhor, o rei de Israel!

Tendo Jesus encontrado um jumentinho, montou nele, segundo o que está escrito:

Não temas, filha de Sião, eis que vem o teu rei montado num filho de jumenta” (João 12:13-15)

No mesmo dia em que foi preso, Jesus foi traído por um de seus discípulos.

Um homem que caminhou ao seu lado por anos e viu todas as maravilhas de Cristo.

Mas o trocou por dinheiro, vemos isso profetizado nos Salmos:

“Até o próprio amigo em que eu confiava, que partilhava do meu pão, levantou contra mim o calcanhar”. (Salmo 40:10)

E cumpriu-se num momento de grande angústia, como diz Marcos:

“Judas Iscariotes, um dos Doze, foi avistar-se com os sumos sacerdotes para lhes entregar Jesus”. (Marcos 14:10)

O preço pelo qual Judas vendeu Jesus também foi simbólico e profetizado por Zacarias.

Não só o preço, mas o fato de que ele seria devolvido por Judas, ao pesar sua consciência:

“Eu disse-lhes:

Dai-me o meu salário, se o julgais bem, ou então retende-o!

Eles pagaram-me apenas trinta moedas de prata pelo meu salário.

O Senhor disse-me: Lança esse dinheiro no tesouro, esta bela soma, na qual estimaram os teus serviços.

Tomei as trinta moedas de prata e lancei-as no tesouro da casa do Senhor”. (Zacarias 11:12)

Conforme conta o livro de Mateus:

“Que quereis dar-me e eu vo-lo entregarei.

Ajustaram com ele trinta moedas de prata”. (Mateus 26:15)

“Os príncipes dos sacerdotes tomaram o dinheiro e disseram:

Não é permitido lançá-lo no tesouro sagrado, porque se trata de preço de sangue.

Depois de haverem deliberado, compraram com aquela soma o campo do Oleiro, para que ali se fizesse um cemitério de estrangeiros”. (Mateus 27,6-7)

Durante a “paixão de Cristo”, que foi o momento em que foi aprisionado até sua morte na cruz, Jesus manteve o silêncio:

“Foi maltratado e resignou-se; não abriu a boca, como um cordeiro que se conduz ao matadouro, e uma ovelha muda nas mãos do tosquiador.

Ele não abriu a boca”. (Isaías 53:7)

“Levantou-se o sumo sacerdote e lhe perguntou:

Nada tens a responder ao que essa gente depõe contra ti?

Jesus, no entanto, permanecia calado.

Disse-lhe o sumo sacerdote:

Por Deus vivo, conjuro-te que nos digas se és o Cristo, o Filho de Deus?” (Mateus 26:62-63)

  • Deus de Promessas – A promessa de Deus sobre levar o sofrimento dos outros

Ele sofreu em nosso lugar, para que pudéssemos ser salvos e livres de todo a nossa dor, levou o castigo que deveria ser nosso:

“Em verdade, ele tomou sobre si nossas enfermidades, e carregou os nossos sofrimentos:

E nós o reputávamos como um castigado, ferido por Deus e humilhado.

Mas ele foi castigado por nossos crimes, e esmagado por nossas iniquidades;

O castigo que nos salva pesou sobre ele; fomos curados graças às suas chagas”. (Isaías 53:4-5)

“Pela tarde, apresentaram-lhe muitos possessos de demônios.

Com uma palavra expulsou ele os espíritos e curou todos os enfermos.

Assim se cumpriu a predição do profeta Isaías:

Tomou as nossas enfermidades e sobrecarregou-se dos nossos males”. (Mateus 8:16-17)

Cristo foi crucificado ao lado de dois bandidos, como se fosse um deles.

Essa é uma profecia feita por Isaías, um dos principais profetas sobre Cristo:

“Eis por que lhe darei parte com os grandes, e ele dividirá a presa com os poderosos:

Porque ele próprio deu sua vida, e deixou-se colocar entre os criminosos, tomando sobre si os pecados de muitos homens, e intercedendo pelos culpados”. (Isaías 53:12)

“Ao mesmo tempo foram crucificados com ele dois ladrões, um à sua direita e outro à sua esquerda”. (Mateus 27:38)

O seu sofrimento também foi registrado em outras profecias, que citam como ele haveria de padecer, com as mãos e os pés furados, sem quebrar nenhum osso, sendo escarnecido e desprezado.

Profecia: Cristo foi humilhado

“Sim, rodeia-me uma malta de cães, cerca-me um bando de malfeitores.

Traspassaram minhas mãos e meus pés”. (Salmo 21:17)

“A vós clamaram e foram salvos; confiaram em vós e não foram confundidos.

Eu, porém, sou um verme, não sou homem, o opróbrio de todos e a abjeção da plebe.

Todos os que me vêem zombam de mim; dizem, meneando a cabeça:

Esperou no Senhor, pois que ele o livre, que o salve, se o ama”. (Salmo 21:6-9)

“Os que passavam o injuriavam, sacudiam a cabeça e diziam:

Tu, que destróis o templo e o reconstróis em três dias, salva-te a ti mesmo!

Se és o Filho de Deus, desce da cruz!” (Mateus 27:39-40)

Profecia: Cristo tomou vinagre

“Puseram fel no meu alimento, na minha sede deram-me vinagre para beber”. (Salmo 68:22)

“Havia ali um vaso cheio de vinagre.

Os soldados encheram de vinagre uma esponja e, fixando-a numa vara de hissopo, chegaram-lhe à boca”. (João 19:29)

Profecia: Seus ossos não foram quebrados

“Ele protege cada um de seus ossos, nem um só deles será quebrado”. (Salmo 33:21)

“Chegando, porém, a Jesus, como o vissem já morto, não lhe quebraram as pernas” (João 19:33)

Profecia: Cristo foi transpassado

“Suscitarei sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém um espírito de boa vontade e de prece, e eles voltarão os seus olhos para mim.

Farão lamentações sobre aquele que traspassaram, como se fosse um filho único; chorá-lo-ão amargamente como se chora um primogênito”. (Zacarias 12:10)

“…um dos soldados abriu-lhe o lado com uma lança e, imediatamente, saiu sangue e água”. (João 19:34)

Profecia: Cristo seria sepultado em um túmulo de ricos

“Foi-lhe dada sepultura ao lado de fascínoras e ao morrer achava-se entre malfeitores, se bem que não haja cometido injustiça alguma, e em sua boca nunca tenha havido mentira”. (Isaías 53:9)

“À tardinha, um homem rico de Arimateia, chamado José, que era também discípulo de Jesus, foi procurar Pilatos e pediu-lhe o corpo de Jesus.

Pilatos cedeu-o. José tomou o corpo, envolveu-o num lençol branco e o depositou num sepulcro novo, que tinha mandado talhar para si na rocha.

Depois rolou uma grande pedra à entrada do sepulcro e foi-se embora”. (Mateus 27:57-60)

Deus de promessas – A promessa de Deus sobre a ressurreição de Cristo e sua ida para o Céu

Temos um Deus de promessas e um Deus amoroso, que ressuscitou seu filho Jesus para glorificar seu nome na Terra e roubar as amarras que nos prendiam à morte.

O castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, mas não cremos num Cristo morto, mas num Pai presente e num consolador ativo em nossas vidas:

“Porque vós não abandonareis minha alma na habitação dos mortos, nem permitireis que vosso Santo conheça a corrupção”. (Salmo 15:10)

“Nesse momento, Jesus apresentou-se diante delas e disse-lhes: Salve!

Aproximaram-se elas e, prostradas diante dele, beijaram-lhe os pés”. (Mateus 28:9)

“Subindo nas alturas levastes os cativos; recebestes homens como tributos, aqueles que recusaram habitar com o Senhor Deus”. (Salmo 67:19)

“Depois os levou para Betânia e, levantando as mãos, os abençoou.

Enquanto os abençoava, separou-se deles e foi arrebatado ao céu”. (Lucas 24:50-51)

Percebe que temos um Deus de promessas?

Você consegue entender que Jesus Cristo não foi um acaso, Ele foi e é a nossa salvação, a libertação da criação preparada por Deus.

A história não começa em Cristo, ela é concretizada nele.

Deus, ao longo dos séculos, encontrou maneiras de se relacionar com sua criação e apresentar seu plano, concretizado em Cristo.

Agora, somos aqueles que esperam a sua volta, a redenção final.

Enquanto aguardamos, devemos seguir o propósito deixado pelo nosso Salvador, para aqueles que nele creem:

“E foi-lhe dado o livro do profeta Isaías;

E, quando abriu o livro, achou o lugar em que estava escrito:

O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres.

Enviou-me a curar os quebrantados de coração, a pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos, A anunciar o ano aceitável do Senhor.

E, cerrando o livro, e tornando-o a dar ao ministro, assentou-se;

E os olhos de todos na sinagoga estavam fitos nele.

Então começou a dizer-lhes: Hoje se cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos”. (Lucas 4:17-21)

Em Cristo, temos o poder de mudar o rumo do mundo, de ser o cumprimento da Palavra. Maranata!

Deus te abençoe!

Gostou do artigo? Deixe seu comentário e compartilhe nas redes sociais. 

6 Comentários


  1. Bênção … profundo, porém simples e fácil de entender … tem mais? Rsrsrs
    Deus Os Abençoe Grandemente Ricamente

    Responder

    1. Ficamos felizes que tenha gostado irmão.
      Com certeza, tem muito mais conteúdo por vir.
      Fique com Deus!

      Responder

  2. QUE BOM, GOSTEI MUITO. POSSO UTILIZÁ-LO COMO MATERIAL DE ESTUDO EM NOSSA IGREJA?

    Responder

    1. Que bom que gostou irmão!
      Pode utilizar sim, sem problema nenhum.
      Fique com Deus!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *